O que determina a vida que levaremos?

Por Jonatas Almeida de Oliveira

Primeiro lugar na lista de mais vendido do The Wall Street Journal, o livro “A Vida dos Estoicos”*, leitura de um fôlego só, retrata a história do triunfo sobre a adversidade, baseado em vinte e seis pensadores, são lições atemporais que os antigos ensinaram ao mundo sobre felicidade, sucesso, resiliência e virtude, tanto por suas palavras quanto por seus atos.

De  acordo com Epicteto, se uma pessoa quer ser feliz, quer se sentir tratada com justiça, quer ser rica não precisa que a vida seja fácil, que as pessoas sejam boas e o dinheiro abundante. Ela precisa olhar para o mundo do jeito certo. Não são as coisas que nos incomodam, dizia ele, e, sim, o nosso julgamento a respeito dela. Nossas opiniões determinam a realidade que experimentamos.

Cada situação tem duas alças, ensinou Epicteto. Uma delas é macia e a outra dura. Não importando a nossa condição, não importando quão desfavorável seja a situação, detemos a capacidade de escolher qual das duas seguraremos. Essa decisão, qual alça vamos escolher, dia após dia, com qualquer pessoa que lidamos determina a vida que levaremos. E que tipo de pessoa seremos.

Epicteto, costumava dizer que havia duas falhas que eram de longe piores e mais perversas, a falta de resistência e a falta de autocontrole, portanto disse ele, se alguém levar a sério essas duas palavras e usá-las para própria orientação e conduta, quase não terá pecado e terá uma vida muito pacífica. Essas duas palavras são

PERSISTIR E RESISTIR. PERSISTA E RESISTA.

QUE DEUS ABENÇOE ITACOATIARA E O SEU POVO!

*Autores: Ryan Holiday e Stephen Hanselman

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui