Comércio de Manaus estima alta de 2,10% para o Dia dos Pais

Pesquisa aponta um movimento aproximado de R$ 81,4 bilhões para o comércio manauara

Comércio na Rua Marechal Deodoro no centro de Manaus (AM) - Foto: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

O Dia dos Pais está chegando, e esse será o segundo ano em que a ocasião será festejada em meio ao cenário de pandemia. Entretanto, com o avanço da vacinação e a flexibilização de decretos estaduais, as expectativas de vendas no comércio lojista apontam um aumento superior ao do ano de 2020.

De acordo com a pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus), o aumento das vendas para o Dia dos Pais, comemorado no dia 8 de agosto, será de 2,10%, com ticket médio esperado de aproximadamente R$ 92,00. A estimativa é que a data movimente R$ 81.399.122,90, no comércio manauara.

O presidente da CDL Manaus, Ralph Assayag destaca que os artigos de vestuário aparecem no topo da lista de intenção de compras com (29,50%); seguido de jantar/almoço (22,79%); calçados/cinto (12,25%); perfumes/similares (11,70%); eletrodomésticos (3,90%); artigos esportivos e smartphone ficaram com (2,81%); e vinhos/cervejas (2,26%). Entretanto, muitos entrevistados (6,09%) ainda não sabem ou não opinaram sobre o presente que pretendem dar aos seus pais.

Presidente da CDL Manaus Ralph Assayag – Foto: Márcio Silva

“Todos os anos a preferência de compras têm sido o vestuário, pela facilidade de comprar, e todo mundo precisa, e em segundo lugar vinha perfumaria. Mas esse ano o segundo lugar foi o almoço ou jantar, então neste dia vamos encontrar muita gente em restaurantes, em bares, comemorando, já que ano passado não podíamos sair e esse ano  podemos, então esperamos um resultado muito bom neste período”, destacou Assayag.

A pesquisa aponta ainda o que os pais desejam ganhar, em primeiro lugar da preferência vem vestuário (17%); em segundo almoço/jantar (15%); seguido de perfumaria (12%); joias/relógios (12%); calçados (9%); smartphone (9%); produtos de beleza e eletroeletrônico com (8%); carteira/similares (4%), artigos esportivos (4%) e jogos de ferramentas com (2%).

Os dados também mostram quem serão as pessoas presenteadas: os pais (56.9%); esposo (15,4%); mãe (6,5%); avô (5,7%); filho (4,1%); padrasto (4,1%); tio (3,3%); padrinho (2,4%) e o sogro (1,6%).

Em relação a pretensão de gastos, a estimativa é que (49,6%) gastem de R$ 101,00 a R$ 500,00 reais, (43.9%) até R$ 100,00 reais e (6,5%), gastem de R$ 500,00 a R$ 999,00 reais.

Quanto a forma de pagamento que será usada na hora de comprar os presentes, (36,6%) pretendem pagar no cartão de crédito parcelado; (29,3%), no cartão de débito; (18,7%) no dinheiro; (7,3%) no cartão de crédito à vista; (6,5%) no pix e (0,8%) pretendem pagar no cartão parcelado da loja e no crediário/carnê.

Os locais escolhidos para as compras dos presentes são: shoppings centers (43%); o comércio formal do centro (31%); a internet/e-commerce (11%); as mídias sociais (6%); o comércio do bairro (4%); e os supermercados com (2%).

Segundo Assayag, o ano para os lojistas começa agora, com a reabertura do comércio e a vazante do rio, a expectativa é que grandes investimentos aconteçam somados a abertura de novas lojas e geração de empregos. “As vitrines das lojas já estão arrumadas para esta data sazonal, inclusive as lojas já estão divulgando suas ações para atraírem seus clientes, isso fortalece as vendas do comércio e fomenta a economia local”, disse.

A pesquisa foi realizada de 9 a 19 de julho, por meio do aplicativo de gerenciamento de pesquisas, Google Forms. Foram entrevistadas aproximadamente 600 pessoas maiores de 18 anos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui