Trabalho do oncologista vai além do tratamento da doença, diz Anadem

Sociedade reitera também a importância de mais valorização desses especialistas para que tenham condições adequadas de trabalho em todo o território nacional

Foto: Divulgação

Ciência médica que estuda o câncer e os tumores que podem ser desenvolvidos no corpo humano, a oncologia, palavra que vem do grego onkos, que significa massa, volume, tumor, e do termo logia, que significa estudo, é uma das áreas mais importantes da medicina.

Uma área que requer profissionais altamente capacitados, e que merecem ser valorizados. Para destacar esses especialistas, neste dia 9 de julho celebra-se o “Dia do Oncologista”, profissional responsável pelo diagnóstico e pelo tratamento do câncer. Por exemplo, é da responsabilidade dele analisar o quadro clínico do paciente e orientá-lo sobre o melhor tratamento. No entanto, na maioria das vezes, o oncologista trabalha com uma equipe multidisciplinar para que o paciente tenha o melhor tratamento possível durante o processo. “O trabalho do oncologista deve ser sempre enaltecido, pois é preciso saber lidar com a doença em si, com o paciente e com os familiares, que depositam suas esperanças nesse profissional”, afirma Raul Canal, presidente da Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética (Anadem).

Números

Segundo dados coletados pelo estudo Demografia Médica no Brasil 2023, o País conta com 4.730 oncologistas clínicos em atuação, que atuam diariamente com diferentes tipos de cânceres. São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Paraná são os Estados que mais contam com esses especialistas. “Esses dados mostram a necessidade de mais valorização desses especialistas, para que todas as regiões do Brasil contem com esses profissionais”, comenta Canal.

Entre os cânceres mais comuns no Brasil estão: Pulmão (2,09 milhões de casos); Mama (2,09 milhões de casos); Colorretal (1,8 milhão de casos); Próstata (1,28 milhão de casos); Câncer de pele não melanoma (1,04 milhão de casos) e Estômago (1,03 milhão de casos).

Números divulgados em novembro de 2023 pelo Censo SBOC da Oncologia Clínica no Brasil revelaram que 65% dos médicos oncologistas estão satisfeitos com a carreira. No entanto, para 42% dos 761 participantes da pesquisa realizada com profissionais de todo o País, os diagnósticos tardios são um obstáculo para aqueles que trabalham, integralmente ou na maior parte do tempo, no serviço público.

Dia Nacional do Cirurgião Oncológico

Em março deste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei n.o 14.827/24, que institui o “Dia Nacional do Cirurgião Oncológico”, no dia 17 de julho, também com o objetivo de valorizar esse profissional e abordar a importância sobre a prevenção para os diferentes tipos de cânceres.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) reconheceu a especialidade de cirurgia oncológica no dia 17 de julho de 2017. No Brasil, esses profissionais, de acordo com a Resolução do Conselho, devem passar por especialização de três anos.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), mais de 73 mil mulheres serão diagnosticadas com câncer de mama no País até 2025. No mesmo período, para os homens, a estimativa é de 71 mil novos casos de câncer de próstata.

Anadem

A Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética (Anadem) foi criada em 1998. Enquanto entidade que luta pela categoria de seus direitos, promove o debate sobre questões relacionadas ao exercício da medicina, além de realizar análises e propor soluções em todas as áreas de interesse dos associados, especialmente no campo jurídico. Para saber mais, clique aqui.

RS PRESS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.