Professora da rede estadual cria horta medicinal e une ciência e tradição em escola do Centro de Manaus

Iniciativa realiza pesquisa científica e histórica com alunos do Ensino Médio

Professora, Márcia Gomes - Foto: Eduardo Cavalcante | Seduc-AM

“É um encontro de gerações, de culturas, de saberes”. É assim que a professora do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), Márcia Gomes, resume o projeto “Revitalizando a história no jardim do Instituto de Educação do Amazonas-IEA: um olhar sobre a medicina cabocla”, um dos vencedores no prêmio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) deste ano.

Em sua trajetória, a professora de Biologia, que leciona há cerca de 12 anos na unidade escolar, conta como buscou estimular os alunos a realizar a pesquisa científica e também histórica dos elementos usados no projeto.

“A nossa iniciativa inseriu os alunos em uma pesquisa incessante, visto que não conheciam muitas plantas usadas de forma medicinal. Dessa maneira, o projeto trouxe o contato com os nossos ancestrais, trouxe um encontro de futuro e passado, e ser contemplado nesta premiação é a coroação de todo o esforço e dedicação envolvidos neste dois anos de vigência da atividade”, analisa Márcia.

A atividade teve início em 2019, e mesmo com as dificuldades enfrentadas pelo período pandêmico, conseguiu retomar a horta medicinal após o início das aulas presenciais. Um QR code, desenvolvido pelos estudantes, direciona o interessado para a página oficial do projeto.

Ana Luiza – Foto: Eduardo Cavalcante | Seduc-AM

“Em resumo, nós conseguimos agregar o presente e o passado, unimos as nossas ideias com um projeto que resgata a nossa própria história e, mais ainda, nos torna responsáveis pela construção do nosso futuro, nos faz refletir sobre o legado que deixaremos para os próximos anos”, enfatizou a estudante Ana Luiza, de 17 anos, que integra a iniciativa.

Também falando de passado e futuro, a aluna Wendy Vitória, egressa do IEA e uma das primeiras a aderir ao projeto, conta o que ficou de herança.

Wendy Vitória – Foto: Eduardo Cavalcante | Seduc-AM

“O projeto me mudou, ampliou minhas visões, ele foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida escolar. Sinto saudade do projeto, da escola, porque ela foi a minha casa e me ensinou a ter consciência com as próximas gerações. Hoje, tenho plena ciência da importância das plantas medicinais, elas fazem parte da nossa história, estão enraizadas em nossas memórias, e isso é algo que eu não consigo explicar, somente agradecer”, finalizou.

Premiação

Horta medicinal – Foto: Eduardo Cavalcante | Seduc-AM

Márcia Gomes foi uma dos seis professores da Secretaria de Estado de Educação e Desporto que venceram, em suas áreas de atuação, o prêmio da Fapeam.

A iniciativa premiou pesquisadores das áreas de Ciências da Vida, Exatas e Humanas, Inovação, profissionais de comunicação e professores da educação básica que desenvolvem projetos científicos e tecnológicos por meio do Programa Ciência na Escola (PCE).

Assessoria de Comunicação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui