‘Governo do Amazonas desrespeita os direitos das pessoas com deficiência’, afirma Dermilson Chagas

O deputado disse hoje (13) que a lei nº 241/2015 garante às pessoas com deficiência o acesso gratuito ao jogo Brasil x Uruguai - Foto: Aguilar Abecassis

O deputado Dermilson Chagas (Podemos) utilizou a tribuna do plenário Ruy Araújo, da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na manhã desta quarta-feira (13/10), para denunciar que o Governo do Amazonas está desrespeitando o direito das pessoas com deficiência (PCDs) de terem acesso gratuito ao jogo Brasil x Uruguai, que será realizado amanhã (quinta-feira, 14/10), na Arena da Amazônia.

O parlamentar ressaltou que o artigo 16, da Lei Promulgada nº 241, de 31 de março de 2015, de autoria do deputado Chico Preto, que consolida a legislação relativa à pessoa com deficiência no Estado do Amazonas, assegura a gratuidade para PCDs e a meia-entrada para seu acompanhante nos eventos em salas de cinema, espetáculos de teatro, circos, museus, parques e eventos educativos, esportivos, de lazer, culturais e similares.

O deputado Dermilson Chagas também denunciou que o Governo do Amazonas deu preferência a 4 mil convidados, entre jornalistas e autoridades, que não pagarão pelo ingresso, e ainda realizou um sorteio para disponibilizar 3 mil ingressos gratuitos para a população.

“O governador do Estado tem, dentro do seu arcabouço jurídico, uma lei que foi aprovada por esta Casa e promulgada, do ex-deputado Chico Preto, que fala sobre a gratuidade de eventos, inclusive de esportes, e também sobre o desconto de 50% para o seu acompanhante. O governador faz o populismo dele e esquece das pessoas que também têm direito de assistir, no caso as pessoas com deficiência. Isso é lamentável”, argumentou o deputado Dermilson Chagas, que levou uma cópia da lei para a tribuna e a mostrou aos deputados presentes durante a sua fala.

Público subiu de 12 para 14 mil pessoas

O próprio Governo do Estado divulgou, por meio da sua comunicação, no dia 22 de setembro, que o evento teria 4 mil convidados, além do público pagante, que seria de 8 mil pessoas. Portanto, inicialmente, seria um público de 12 mil pessoas. Já no dia 5 de outubro, foi lançado o sorteio da Vacina Premiada, e o número subiu para 14 mil pessoas, como foi divulgado hoje (13/10).

Clique aqui para acessar as informações contraditórias divulgadas pela Secom:

http://www.amazonas.am.gov.br/2021/09/wilson-lima-anuncia-exigencia-de-imunizacao-completa-contra-covid-19-para-publico-de-jogo-entre-brasil-e-uruguai/

http://www.amazonas.am.gov.br/2021/10/wilson-lima-lanca-campanha-vacina-premiada-com-sorteio-de-tres-mil-ingressos-para-o-jogo-brasil-x-uruguai/

Desrespeito aos protocolos de Comitê

Na última sexta-feira (8/10), o Governo do Amazonas divulgou à imprensa que o Comitê Intersetorial de Enfrentamento da Covid-19 estabeleceu novos protocolos para realização de grandes eventos musicais, culturais e esportivos com a presença de público e venda de ingresso, e que as mudanças ainda serão publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) e somente começam a valer a partir de 1º de novembro.

Como se pode ver, o próprio Governo do Amazonas desrespeitou uma normatização que ele mesmo criou, pois o jogo da Seleção Brasileira e Uruguai, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo Fifa Catar 2022, que vai acontecer no próximo dia 14, na Arena da Amazônia, foi programado sem atender às orientações do Comitê, que já estavam em discussão no período em que foi definida a realização do evento esportivo, que contará com a presença de um público de mais de 14 mil pessoas.

Coordenação de Comunicação: Guilherme Gil e Kelriane Costa

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui